PT | EN
Mulheres se reúnem para pensar o programa do Fronteira

23/03/17

 

O Fronteira Festival é espaço de exibição de filmes, de debate e também de reflexão sobre a produção do cinema experimental e documentário. Por isso, teve início hoje o “Estado Crítico – Residência Crítica de Cinema”. Um espaço no festival exclusivamente feminino de refletir sobre estes temas e sobre o próprio programa do festival. À frente do trabalho estão as coordenadoras Dalila Martins, pesquisadora, professora e crítica de cinema e Janaína Oliveira, graduada, mestre e doutora em História. Elas trabalham desde ontem, 22/03 e seguem até sábado com dez mulheres selecionadas para participar desse projeto. 

A escolha por uma participação exclusivamente feminina não foi à toa. “De fato, mulheres na crítica, no cinema, são minoria e pouco falam”, comenta Dalila. Para ela, o fato de haver apenas mulheres no grupo cria outra dinâmica. “Os filmes trazem esse tema. Mas mesmo que não trouxessem. É uma outra forma de se relacionar com cinema, uma cinefilia diferente daquela clássica”, complementa. 

Durante a residência cada participante deverá produzir um texto diário de uma ou duas laudas sobre os filmes exibidos. Ao final, um artigo também será produzido a partir das questões discutidas ao longo do trabalho. Esse último produto da Residência será publicado em um livro eletrônico, um E-book. “É uma experiência de imersão no festival. Um trabalho prático, mas nossa ideia é aprofundar”, explica Dalila. 

 

Clique aqui para ver mais fotos de Yolanda Margarida.

 

ESTADO CRÍTICO - Residência de Crítica de Cinema

III Fronteira – Festival Internacional do Filme Documentário e Experimental

Datas: 22 à 25 de março

Local: Centro Cultural UFG (Universidade Federal de Goiás)

 

Foto: Yolanda Margarida